segunda-feira, 29 de junho de 2015

FIlme: A gaiola dourada



A Gaiola dourada é uma comédia divertidíssima do cineasta franco-português Ruben Alves, e é tb o resultado de uma homenagem que ele sempre desejou fazer aos pais e à comunidade portuguesa na França.

FIlme: Still life

Still life, traduzido como 'Uma vida comum', filme de Uberto Pasolini. Um drama existencial angustiante que nos coloca diante da grande e incômoda questão: Qual o sentido da vida?

domingo, 28 de junho de 2015

Muvuca climática


"Nos últimos 50 anos, tempo de uma vida adulta, a terra foi mais radicalmente alterada do que por todas as gerações anteriores da humanidade."


Ares asiáticos do mal causam muvuca climática no resto do mundo. As imagens impressionam e são até bonitas, dão um ótimo screensaver, mas os efeitos reais no meio ambiente e na saúde da humanidade são catastróficos.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Resgatando a história: O chá das 5


Em tempos em que a moda é efêmera, poucos modismos ganham status de permanência. Poucos duram décadas, quanto mais séculos, sendo o prazeroso costume do chá das 5 uma dessas pouquíssimas excepções. Aqui no Brasil, a bebida está mais associada a saúde e medicina popular, mas podemos tomar um chá ao estilo inglês em confeitarias requintadas, algo que  muita gente considera "chique", isto porque quando pensamos em chá, logo lembramos da realeza.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Filme: A boa mentira (The good lie)



“Se for andar rápido, ande sozinho. Se quiser ir longe, vá em grupo” (ditado africano)

O ditado africano acima, foi usado no final do filme A boa mentira. É a filosofia que dá o tom à história. Baseada em fatos verídicos, conta uma história de superação, a trajetória, com picos de odisseia, de um grupo de crianças órfãs sobreviventes à guerra civil do Sul do Sudão. O drama dos órfãos da guerra é pouco conhecido no mundo, e foram chamados  de os garotos perdidos do Sudão.

sábado, 13 de junho de 2015

O fim do mundo, de novo

Mais uma premonição?
Talvez praga de religioso. Não, vou fazer melhor, vou dar crédito à vertente religiosa que efetivamente se preocupa com o próximo. Imaginemos então que estas premonições são um tipo de psicologia do bem, para o bem.

Explico!
Como o pessoal de Deus - os religiosos - são os escolhidos, seja porque ficarão para semente na terra, ou serão conduzidos, por alguma divindade, para um paraíso escondido, onde terão a tão sonhada vida boa, esparramados em alguma poltrona super, hiper, mega confortável ao lado do trono de deus, eis que esta turma do bem, cansada de tanto pecado em volta, vira e mexe, solta essa boateira de fim do mundo, para botarem medo aos pecadores, porque afinal quem quer queimar no fogo do inferno? A ideia é usar o medo para resgatar as almas pecadoras e assim diminuírem o mal no mundo. A estratégia pode até render bons números e fazer todo mundo lucrar.

Pensem comigo.
Faturam bons e maus, o divino e o profano. Os cálculos são simples, ao estilo ativo/passivo com efeito cascata. Quanto maior o rebanho, mais esmolas, mais pobres serão alimentados, e as boas almas engrossam suas cotas de boas ações, encurtando o caminho para o paraíso. Do outro lado, os profanadores que invocam o nome de Deus para promessas vãs, engordam suas contas bancárias, compram mais, empregam, investem... Resumindo, ganhamos todos, e seguimos pagando o peso e o preço de nossas ações, para o bem e para o mal.

Voltando à nova premonição....
Desta vez, o povo de Deus pegou pesado, escolheram um asteroide. Para acabar mesmo com a nossa raça, só não sei se haverá tempo de se mandar para o paraíso.

Será bem rápido... PUF! E já era...

Enquanto a data não chega, vamos vivendo, acompanhando e nos divertindo com as notícias, as mensagens, os alertas e as boas e velhas discussões profanas e religiosas.


Fonte: YAHOO Notícias

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Espumas ao vento



Hoje fui apresentada a essa música, com uma letra que é pura poesia, e versos singelos, cheios de significado. 

A composição faz parte da trilha musical do filme Lisbela e o prisioneiro, na voz de Elza Soares. Regravada por inúmeros cantores, ao que parece, foi Fagner quem a imortalizou num estilo mais lento, diferente do ritmo de forró, em que foi lançada. 

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Indulgência, a alma do negócio


Se você acha que é legal, então é!

É isso mesmo!
Faça do seu jeito. Seja fiel ao seu estilo, aos seus valores, aos seus sentimentos. Não se deixe influenciar pela opinião alheia, principalmente se depois você fica desconfortável por ter ido na onda dos outros. Não faça nada levado pelo momento, para se sentir aceito pela galera, porque depois a consciência vai cobrar. Tome cuidado para não passar fofocas adiante, e se a tentação for grande, morda a língua.

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Um dia...


Um dia tudo passa. É como o povo diz.
A gente casa e a vida segue. O tempo voa e o passado...

O passado fica lá atrás.
A gente aprende a viver o presente, e a vislumbrar o futuro com sol, porque...

O sol ilumina todo mundo.
A gente aprende que a alegria, a tristeza são escolhas, e a força...

A força brota.
A gente aprende a dizer adeus ao que um dia nos fez chorar e nos acompanhou, até...

Até a gente abraçar a vida.
A gente aprende a enxergar as cores, e que quem dá o tom sou eu, você, somos nós, e a melodia...

A melodia é... NOSSA!.
Dançamos no ritmo que queremos, percebemos que a vida não castiga, abraça.

A gente aprende...

Enfim!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...